Manifestantes exigem demissão do governador de Benguela
27-05-2019 | Fonte: Angop

Mais de quatro centenas de jovens auto-denominados ''revolucionários'' manifestaram-se, neste sábado, na cidade de Benguela, contra a liderança do governador provincial, Rui Falcão, por alegada ''má gestão da província''.

Os participantes na marcha, promovida pelo autodenominado “Movimento Revolucionário (MR) de Benguela”, ostentavam dísticos em que se podia ler, entre outros escritos, “Basta a tirania de Rui Falcão!” e “Rui Falcão, fora!”.

Os jovens percorreram algumas ruas da cidade e pretendiam atingir o Palácio do Governo, o que não aconteceu, uma vez que a Polícia Nacional encurtou o trajecto.

Cachine Domingos, membro de direcção do “MR” e subscritor da convocatória da marcha, através das redes sociais, seu principal instrumento de comunicação, afirmou que Rui Falcão “demonstra não estar comprometido com o desenvolvimento de Benguela”.


Afirmou que os jovens do “MR” vão aguardar que “a situação de Benguela se altere”, a partir do próximo Congresso Extraordinário do MPLA, a 15 de Junho próximo. De contrário, segundo disse, vão voltar a manifestar-se “até que o Chefe do Executivo oiça” o seu “clamor”.


Já António Pongote, outro participante, disse que o objectivo é “a substituição da direcção governativa da província e que os governantes se preocupem mais com a condição social dos cidadãos, que se degrada diariamente”.

Américo Joaquim, “inconformado” com o desempenho de Rui Falcão, disse que participou da “marcha de repúdio contra o governador, convocada há duas semanas por meio do Facebook, pois gostaria que o mesmo fosse substituído imediatamente”.


“Ainda não temos data para uma segunda manifestação, mas vamos esperar, acompanhar as medidas que o Presidente da República vai tomar em relação à província de Benguela e aí voltaremos a reagir”, disse. A manifestação acontece depois de alguns sinais positivos de melhoria de algumas condições de vida dos munícipes, como no domínio de distribuição de energia eléctrica e de água.


Nesse segmento, que era dos mais problemáticos em Benguela, a província está, desde quarta-feira da semana passada, interligada ao sistema eléctrico norte (Cambambe e Laúca), o que abre boas perspectivas para as comunidades e o sector industrial.


O Estado vai poupar 500 mil litros de gasóleo que se consumia por dia, que alimentavam as centrais térmicas, cujo dinheiro poderá ser canalizado para a satisfação de outras necessidades sociais.

Por outro lado, há registo de aumento da capacidade de distribuição de água às zonas altas dos municípios do Lobito e da Catumbela, tudo focado na melhoria das condições sociais da população.


Rui Luís Falcão Pinto de Andrade foi nomeado governador de Benguela em Junho de 2017, depois de ter exercido o mesmo cargo na vizinha província do Namibe.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação