Caso CNC: Alegações foram marcadas para 30 de Julho
18-07-2019 | Fonte: Angop

O júri do "Caso CNC" agendou para o próximo dia 30 deste mês a apresentação das alegações finais, a ser feita pelo Ministério Público (MP) e pelos advogados dos cinco réus do processo 002/19 , cuja figura principal é o antigo titular dos Transportes, Augusto da Silva Tomás. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo juiz relator da causa, após declarar fim da etapa da produção de provas ou procura da verdade do julgamento que decorre há 48 dias na Câmara Criminal do Tribunal Supremo.

Após as alegações finais deste processo do Conselho Nacional de Carregadores (CNC), penúltima fase do julgamento, o juiz poderá marcar a data da sentença. Esta fase pode ser antecedida da leitura dos quesitos (perguntas feitas pelo juiz para serem respondidas no acórdão) e, caso seja necessário, de acareações, que podem ser requeridas pelas partes ou determinadas pelo juiz.

Augusto Tomás, foi detido a 21 de Setembro de 2018, sob a acusação de prática de peculato, violação de normas de execução de orçamento, branqueamento de capitais e abuso de poder na forma continuada. O outros réus arrolados neste processo são, designadamente o ex-director-geral do CNC, Manuel António Paulo, e antigos directores-adjuntos Isabel Bragança, Rui Manuel Moita e Eurico Pereira da Silva.


O julgamento deste processo teve início a 31 de Maio deste ano. Nos autos estão, igualmente, arrolados 14 testemunhas e 31 declarantes.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação