José Filomeno dos Santos pede advogado oficioso
21-10-2019 | Fonte: VOA

O antigo presidente do Fundo Soberano de Angolano, José Filomeno dos Santos, pediu à Câmara Criminal do Tribunal Supremoa nomeação de um defensor no processo-crime que lhe foi movido pela Procuradoria-Geral da República e ao abrigo do qual ele está em regime de Termo de Identidade e Residência.

"Zenu" informou ao tribunal que revogou a procuração ao consultório de advogados, "Legis Veritas" que o representava.

No passado dia 16 de Outubro, a secretária judicial da Câmara Criminal do Tribunal Supremo em Luanda, Elsa do Carmo, enviou uma carta ao presidente da Ordem dos Advogados a pedir a indicação de um advogado oficioso a favor do filho do antigo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

O pedido foi feito por incumbência do juiz-conselheiro João da Cruz Pitra, relator do processo-crime contra “Zénu” Santos.

“Por carta dirigida a esta Câmara, este arguido comunicou-nos ter revogado a preocupação conferida ao escritório de advogados “Legis Veritas” e na mesma requereu que o Tribunal lhe nomeasse um defensor oficioso”, lê-se na carta a que VOA teve acesso.

Carmo ainda reitera que “atentendo à natureza e complexidade dos referidos autos, agradecemos a V.Excelência com a brevidade que for possível, se digne indicar um advogado que possa servir de defensor oficioso ao requerente”.


José Filomeno dos Santos, que esteve em prisão preventiva durante seis meses, é réu no caso conhecido por “processo dos 500 milhões”, em referência a uma transferência que envolve o Banco Nacional de Angola.

No processo são também arguidos no mesmo caso o antigo governador do banco central, Valter Filipe Duarte da Silva, o empresário Jorge Gaudens Pontes Sebastião e António Samalia Bule Manuel, do Departamento de Gestão de Reservas do BNA.

Todos são acusados de branqueamento de capital e peculato.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação