IGAPE aprova contas de 39 empresas com reservas
21-11-2019 | Fonte: Angop

Sete empresas do sector empresarial público viram as suas contas aprovadas sem reservas pelo Instituto de Gestão de Activos e Participações do Estado (IGAPE) e 39 com reservas, soube a Angop.

De acordo com os dados apresentados nesta quinta-feira, em Luanda, onde constam informações das 50 empresas que têm a obrigação de apresentar contas por serem detidas 100 % pelo Estado angolano, das mais de 80 empresas existentes, quatro têm as contas reprovadas.
 
Entre as empresas aprovadas sem reserva estão o Banco de Comércio e Indústria, S.A. (BCI), Bolsa de Dívida e Valores de Angola (BODIVA), Caminho de Ferro de Benguela, E.P. (CFB), Empresa do Caminho de Ferro de Luanda, E.P. (CFL).
 
Está ainda a Empresa Portuária do Lobito, E.P. (EPLOB), Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea, E.P. (ENANA) e a RECREDIT, S.A.
 
De acordo com o documento apresentado pelo administrador executivo do IGAPE, Akiules de Jesus Neto, quanto as 39 que têm as contas aprovadas com reservas estão nove da Energia e Águas, nove dos Transportes, quatro do sector financeiro (Banca e Seguros) e quatro do sector da Comunicação Social.
 
Entre as empresas estão igualmente três ligadas ao sector dos Recursos Minerais e Petróleos, onde consta a Sonangol, duas ligadas a Agricultura, duas Telecomunicações, uma da Administração Pública, uma afecte ao Secretariado do Conselho de Ministros (Imprensa Nacional), uma do Comércio, uma da Defesa Nacional, uma ligada a Economia, uma das pescas e uma do Ordenamento do Território e Habitação.
 
SITUAÇÃO FINANCEIRA DO SEP EM 2018
 
Em resumo, as informações reportadas pelas empresas, com referência ao exercício de 2018,relativamente à sua posição económica e financeira, dão conta que o Sector Empresarial Público agregou um activo total na ordem dos AKz 23.893 mil milhões, representando um aumento de 61% em relação ao ano anterior.
 
Os sectores dos recursos minerais e petróleos, financeiro e de energia e águas absorvem cerca de 86% do peso total dos activos.
 
Os passivos globais foram avaliados em AKz 14.059 mil milhões e referem-se principalmente às obrigações presentes nas empresas dos sectores dos recursos minerais e petróleos, financeiro, e de energia e águas, com um peso de 94% do total.
 
Os capitais próprios globais foram avaliados em AKz 9.834 mil milhões, tendo aumentado em 71% face ao exercício anterior. As empresas dos sectores dos recursos minerais e petróleos e da economia representam cerca de 74% do total.
 
Os resultados operacionais, no valor de AKz 450 milhões, são superiores em 173% face ao período homólogo.
 
O resultado líquido global, no montante de 10 mil milhões de kwanzas, é dez vezes superior ao reportado no exercício de 2017.
 
O valor global dos subsídios operacionais atribuídos às empresas pelo IGAPE ascende a AKz 29.943 milhões, sendo que o sector da comunicação social tem um peso de 71%.
 
Os valores dos subsídios a preços atribuídos às empresas públicas, pelo Estado, ascenderam a AKz 24,882 milhões.
 
 

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação