Mal-estar no Governo de Benguela após detenção de administrador suspeito de corrupção
14-01-2020 | Fonte: VOA

 
O administrador municipal de Benguela, Carlos Guardado, detido no passado sábado, 11, é suspeito de má gestão das receitas provenientes do maior mercado informal do município, estimadas em mais de cinco milhões de kwanzas por mês, soube a VOA de fonte segura.
 
No dia em que é conhecida a medida cautelar da Procuradoria-geral da República (PGR), que pode passar por prisão preventiva ou libertação, fonte do Governo Provincial refere que a investigação teve como pano de fundo um suposto esquema que desviou da Conta Única do Tesouro largos milhões de kwanzas.
 
A detenção de Carlos Guardado, no seguimento de um processo-crime de peculato, corrupção, tráfico de influência e furto doméstico, criou um mal-estar no Governo de Rui Falcão (na foto),  que esperava ter sido informado do mandado emitido pela PGR.
 
Tanto é que, segundo a mesma fonte, o Serviço de Investigação Criminal (SIC), movido por denúncias de feirantes do «Mercado do 4», requisitou o também primeiro secretário municipal do MPLA, partido no poder em Angola, nos primeiros depoimentos.
 
Quanto a repercussões, o analista político José Cabral Sande associa a detenção a casos pendentes, todos relativos a peculato, e lembra que 2020 é o ano previsto para as autarquias.
 
‘’E que se exige lisura aos autarcas. Os dirigentes do MPLA começam a ser beliscados … então temos de estar preparados para os problemas políticos dos próximos dias. Há vários assuntos pendentes, já ouvi que o do Bocoio está a contas com a justiça; há o assunto do Chongoroi; há o da Baía; há o do Lobito. Acredito que, agora, tudo isto comece a ser destapado’’, comenta Sande.
 
Por seu lado, o secretário provincial da UNITA, Abílio Kaúnda, disse que esta detenção reflecte o declínio de um regime que institucionalizou a corrupção em Angola.
 
‘’Colocando a população na miséria porque a riqueza é para um punhado de homens ambiciosos. É um mal que deve ser combatido, em alguns casos prender mesmo, mas sem escolhas, até os filhos, não apenas os enteados. Este regime está em decadência’’, afirma Kaúnda.
 
O MPLA opta por não reagir, mas um responsável do Comité Municipal de Benguela, que pediu o anonimato, salienta que o princípio da presunção da inocência não deve ser ignorado.
 
Com Carlos Guardado, foi detido também o antigo funcionário da área de economia na Administração Municipal, João Bernardo «Kudy», igualmente associado a supostos esquemas fraudulentos em negócios de terrenos.
 
Ambos devem ser presentes hoje ou amanhã ao tribunal para legalização da prisão.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação