Sonangol diz que reforço na Unitel visa "permitir a estabilização" da empresa
27-01-2020 | Fonte: Lusa

A Sonangol, que comprou a participação de 25% que a brasileira Oi tinha na angolana Unitel, afirmou que esta operação tem "como objetivo principal permitir a estabilização e a normalização" da atividade daquela empresa.


A operadora brasileira Oi confirmou a venda dos 25% que detinha na angolana Unitel à petrolífera Sonangol por 1.000 milhões de dólares (903 milhões de euros, à taxa de câmbio actual), divulgou a sua accionista Pharol.


"Esta aquisição pela Sonangol tem como objectivo principal permitir a estabilização e a normalização das actividades da Multitel e da Unitel, considerando, sobretudo, a importância estratégica desta última para Angola, na medida em que é a maior operadora de redes móveis no país, detendo uma quota de cerca de 80% do mercado de comunicações móveis e de dados, e é um dos maiores empregadores privados do país", justifica a petrolífera angolana, em comunicado hoje divulgado.


"Nos últimos anos, a Unitel tem-se visto envolvida numa disputa accionista que tem impedido o investimento e desenvolvimento da empresa, conduzindo previsivelmente a uma deterioração da sua condição económica e financeira, caso não sejam criadas as condições que permitam alcançar um consenso accionista", refere a Sonangol, que com esta compra passa a controlar a empresa, com 50%.


Com esta aquisição, “a Sonangol espera reunir condições para que a gestão da Unitel possa aprovar o plano de negócios da empresa, realizar os investimentos necessários e assegurar a estabilidade e a preservação dos postos de trabalho", salienta a Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola.


A Oi detinha 25% da Unitel através da PT Ventures.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação