Luanda Leaks: Joalheira De Grisogono de Sindika Dokolo anunciou que entrou em falência
29-01-2020 | Fonte: Lusa

A joalheira De Grisogono, detida parcialmente por Sindika Dokolo, marido da empresária Isabel dos Santos, anunciou hoje que entrou em falência, depois de não ter conseguido encontrar um comprador e perante a acumulação de dívidas.
De acordo com a imprensa suíça, a decisão será anunciada hoje aos 65 trabalhadores na fábrica de Plan-les-Ouates, na Suíça, e surge na sequência da divulgação, por um consórcio internacional de jornalistas, da utilização de dinheiro público angolano nesta joalheira.


Na semana passada, em entrevista à agência Lusa, o Procurador-Geral de Angola, Hélder Pitta Grós, admitiu que entre os processos em investigação está o financiamento com dinheiros públicos da empresa pública de diamantes, Sodiam (200 milhões de dólares, 180 milhões de euros] para a compra da joalheira De Grisogono.


No despacho-sentença que determinou o arresto de bens de Isabel dos Santos, divulgado no final do ano passado, é dito que em audiência de produção de prova, ouvidas as testemunhas, resultou provado, entre outros factos, que, em Agosto de 2010, o executivo angolano, chefiado então por José Eduardo dos Santos, decidiu comercializar diamantes angolanos no exterior do país.


Ficou também provado que "o antigo Presidente da República decidiu investir numa empresa suíça - De Grisogono/Joalharia de Luxo - que se encontrava em falência técnica em virtude de uma dívida para com os bancos UBS-Banco Cantonale de Genebra e BCV".


Segundo a providência cautelar de arresto, ficou igualmente provado que José Eduardo dos Santos decidiu comprar a dívida da sociedade De Grisogono/Joalharia de Luxo junto dos bancos e "oferecer o negócio a Isabel dos Santos e Sindika Dokolo, sua filha e genro".


O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ) revelou no dia de 19 de janeiro mais de 715 mil ficheiros, sob o nome de ‘Luanda Leaks’, que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo, que terão permitido retirar dinheiro do erário público angolano, utilizando paraísos fiscais.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação