«Sondagem encomendada pelo Folha 8 revela que MPLA perderá maioria absoluta», destaca a VOA em Revista de Imprensa
14-01-2006 | Fonte: VOA (Eugénio Mateus)
Eleições em 2006, «MPLA perderá maioria absoluta» desta ca em letras garrafais o Folha 8 que assim conclui, tendo como base um «documento exclusivo».

Na verdade, o jornal encomendou uma sondagem que permitiu chegar a esta conclusão. O MPLA está numa situação desgaste, mas também a acção política de outros partidos tem retirado apoiantes à sua causa, como é o caso das Lundas e mesmo Huambo e Bié, onde terá de trabalhar muito para se recuperar.

O Independente destaca uma entrevista com Sediangani Mbimbi, presidente do PDP-ANA, que afirma «O MPLA já não tem nada para dar a este povo». Na entrevista, o político fala de aspectos políticos, económicos e sociais, reflecte sobre as eleições e critica fortemente o governo, particularmente, o Presidente da República por não definir o calendário eleitoral, concluindo q ue «O país continua a viver de falsas promessas».

O governador de Luanda, Job Capapinha, foi chamado ao parlamento para se explicar acerca das demolições que o seu governo tem protagonizado e saiu de lá dizendo «Demolições de casas em Luanda vão continuar».

A Capital destaca como título principal «Bem aventurados os novos corruptos» e sublinha que a corrupção já faz parte das nossas vidas. Este é um artigo relacionado com o caso dos Serviços de Migração e Estrangeiros que está agora sob investigação da Polícia.

Jardo Muekalia marca pontos em Washington é o ante-título de um artigo relacionado com a visita deste dirigente da UNITA aos EUA, onde foi recebido pela secretária adjunta para os assuntos africanos do Departamento de Estado. O jornal destaca «UNITA busca apoios para pressionar Eduardo dos Santos».

Ciúmes de Aníbal Rocha agitam Cabinda e, como consequencia, «Governador e vice não se entendem», «Vodafone quer ser terceira operadora de telemóveis» e «Um assassino à solta em Luanda chamado malária» fecham a capa deste semanário.

O Angolense abre com uma entrevista de Laís Eduardo, porta-voz de uma das alas FNLA, que afirma «Holden Roberto é uma pessoa frustrada», sendo esta a causa do problema que grassa neste partido histórico.

Laís Eduardo diz mesmo que Holden Roberto é avesso a crítica, autoritário e pretende instalar como que uma monarquia na direcção do partido.

A favor das petrolíferas estrangeiras, «Governo despreza nac ionais». Esta matéria está relacionada com o facto de funcionários sindicalistas da Chevron que lideraram um processo reivindicativo estarem a ser despedidos sem justa causa e o executivo angolano apadrinha estas medidas arbitrarias.

Assustador, «Quarenta por cento dos angolanos estão no desemprego» o jornal respiga uma entrevista concedida à Radio Nacional de Angola pelo ministro das Finanças, José Pedro de Morais, onde avança este dado.

Em destaque no Cruzeiro do Sul está: Caminho de Ferro de Benguela «Para o Luau em chinês». A matéria é relacionada com a reabilitação desta linha ferroviária que será feita com capital e pessoal da China. Os sócios da cooperativa Lar do Patriota estão zangados com Dinguanza, o arquitecto mentor do projecto, que alegadament e não está a honrar o compromisso de entrega pontual das casas aos associados.

Em dossier, «O ano deles», o jornal destaca aquelas figuras que estarão na mó de cima este ano, entre as quais se conta o ministro da Administração do Território, Virgílio de Fontes Pereira, que é também o coordenador da Comissão Interministeral para o Processo Eleitoral.

O Semanário Angolense traz dois títulos apenas e um deles tem a ver com um desfalque de 16 milhões de dólares americanos no Ministério das Relações Exteriores protagonizados pelo embaixador Alves Primo e o director da Direcção de Administração e Gestão do Orçamento, Pedro Miguel de Oliveira. «Cofres da casa aliviados em cerca de 16 milhões de dólares» é o titulo desta matéria.

O título principal diz «2006 o a no das grandes indecisões ?decisões?» matéria em que se fazem projecções que podem implicar pequenas remodelações no executivo, visando melhorar a reputação e a imagem de Angola lá fora e, internamente, sacudir a letargia que caracteriza o desempenho de alguns governantes.

O Agora noticia que pode ser criada a província do Kuanza-Centro, cuja capital seria a localidade de Wako-Kungo.

Também destaca «Os cavalos de Kope» um artigo relacionado com o facto de que o general Hélder Vieira Dias "Kopelipa" estar a vender cavalos, bois e semente de batata.

«Anarquia nos cemitérios, nem os mortos descansam», «Capapinha apertado no parlamento» e «Governador nomeia irmão para director do hospital de Camama» são outros destaques do semanário Agora.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
A CASA de Abel Chivukuvuku:
  • Vai reforçar a prática da democracia
  • Não vai trazer nada de novo
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA
  • Vai retirar eleitorado a UNITA
  • Vai retirar eleitorado ao MPLA e a UNITA