INABE decepciona bolseiros
24-04-2006 | Fonte: Agora
Os estudantes angolanos bolseiros na Federação Russa estão agastados com a actual direcção do Instituto Nacional de Bolsa de Estudos (INABE), liderada por Adelina Van-Dúnem, devido àquilo que chama de prática de discriminação no acto de pagamentos do complemento de bolsas.

As primeiras vítimas, segundo apurou o jornal “Agora”, são na sua maioria, aquelas pessoas que se candidataram à bolsa de estudos na altura em que a instituição era dirigida por Domingos Ebo. Muitas delas se encontram no exterior do país há mais de três anos.

Fontes do “Agora”, revelam ainda que desde que àquela instituição tem à testa caras novas, as coisas mudaram de figura. “A directora não aceita pagar os subsídios a todos aqueles que não foram enviados por ela. Já pedimos encarecidamente para que fossemos contemplados mas sem sucesso”, disse uma fonte em declarações ao jornal.

Os bolseiros descontentes dizem mesmo que, caso a situação prevaleça, irão levar o assunto às instâncias superiores. Na mesma situação estão outros angolanos que se encontram a estudar na Argélia., Marrocos e Cuba.

Outras denúncias dão conta da falta de transparência nos concursos públicos dos candidatos à bolsa de estudo. “Muitos dos que se candidataram à bolsa para a Rússia em 2005 não fizeram até agora qualquer prova de admissão. Os processos estão engavetados. Tudo não passa de uma jogada”, denunciaram.

Até o representante dos estudantes na Federação Russa, Luduvino, desloca-se frequentemente a Luanda por altura dos testes de selecção para participar da jogada”, denuncia a fonte.

Por sua vez, em declarações ao semanário “Agora”, Adelina Van-dúnem disse tratar-se de informações que não condizem a verdade, segundo a responsável, a instituição que dirige goza de boa saúde financeira.

De acordo ainda com a responsável, muitas destas pessoas não são bolseiras do INABE. Vão para o exterior do país estudar por conta própria e quando já não têm condições para custear os estudos querem que o INABE assume as despesas.

Adelina Van-dúnem disse que os complementos de bolsa dos estudantes referente ao mês de Abril já foram liquidados. “Na Nigéria e na Rússia não temos estudantes. Os que lá estão não são bolseiros do INABE”, revelou, acrescentando que, quanto a Cuba, existem 134 estudantes bolseiros e 129 não bolseiros, enquanto que na Nigéria existem 120 estudantes angolanos a estudarem por conta própria.

De realçar que dos 150 candidatos a bolsa de estudo para a Rússia apenas 40 serão apurados, segundo as vagas existentes, conforme fez saber a responsável, que o critério de admissão, são aplicados pelos países onde os candidatos vão estudar.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação
Foto-Destaque
Foto-Destaque
Questionário
O que mais o marcou no campeonato do Mundo Brazil 2014
  • Arbitragem
  • Desempenho das Equipas Africanas
  • Casos extra-jogos
  • Estádios
  • Manifestações