Cuba forma 18 mil angolanos em 30 anos
16-05-2007 | Fonte: Angop
A República de Cuba formou nos últimos 30 anos 18 mil angolanos em diversas especialidades.

Esta informação foi prestada hoje à Angop pelo embaixador de Cuba em Angola, Pedro Ross Leal, afirmando que em Novembro de 1977 partiu de Angola o primeiro navio com crianças angolanas com destino a esse país caribenho.

Em entrevista à Angop o diplomata referiu que estes estudantes seguiram para Cuba com base num convénio rubricado entre os governos de ambos os países no domínio da formação de quadros.

O diplomata cubano frisou que Angola agora pode contar com o contributo de médicos, engenheiros agrónomos, advogados, técnicos de informática, economistas, jornalistas, entre outras especialidades ministradas nesse país do Caribe.

"Hoje estamos em melhores condições de contribuir para o desenvolvimento de Angola uma vez que este país africano vive agora um momento impar desde o alcance da paz, e este é o momento em que todos os quadros formados em Cuba devem dar o seu melhor por esta nação", referiu Pedro Ross Leal.

Questionado sobre a participação desse país caribenho na construção de mais salas de aula, no âmbito do programa de Governo de melhoria das condições básicas da população, o diplomata cubano manifestou a disposição do executivo liderado por Fidel Castro em participar com a sua experiência nos vários domínios das ciências e tecnologias.

Afirmou que para além do contributo de Cuba na formação de quadros, outras áreas também ao longo dos últimos trinta anos mereceram atenção especialmente no ramo da saúde, estando neste momento em execução um programa de combate à malária, por ser esta a enfermidade que mais mortes tem causado em Angola.

Segundo Pedro Ross Leal, o seu país também contribuiu na primeira campanha contra o analfabetismo iniciada a 22 de Novembro de 1977, tendo enviado para Angola quatro mil e quinhentos pedagogos.

Na ocasião, manifestou o interesse do Governo cubano em reforçar a cooperação existente entre ambas nações e povos, salientando que como prova deste desejo foi o envio como embaixador em Angola, um membro do Bureau Político do Partido Comunista de Cuba.

Entretanto, parte dos 18 mil angolanos formados em Cuba ocupam actualmente cargos de direcção no aparelho do Estado, no partido maioritário e outras esferas da sociedade.

(Foto Cidade de Havana)
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação