Catoca encerra fábrica de tratamento de diamantes
20-05-2020 | Fonte: Angop

A Sociedade Mineira de Catoca procedeu ao encerramento de uma das fábricas de tratamento e suspendeu os trabalhos de prospecção em outras concessões, como medidas de gestão de crise, face à covid-19, indica uma nota dessa exploradora angolana de diamantes.

De igual modo, lê-se no informe, reajustou os volumes dos planos de produção, com o adiamento de alguns investimentos e o melhor acompanhamento e redução das principais despesas e insumos utilizados no processo produtivo, como energia, água, combustível e material utilizado no processo de emulsão.

As medidas, traduzidas em maior atenção, com vista a redução de custos, incluem as peças sobressalentes e a suspensão de novas contratações, numa altura em que os mercados internacionais de diamantes estão encerrados, em consequência da pandemia da covid-19.

Nesta altura, refere o comunicado, "não se compra, nem se vende diamantes e, como resultado, as empresas deste subsector pararam de obter receitas, a exemplo da Índia, o maior lapidador dos diamantes de Angola que se encontra com o mercado estagnado, com grandes stocks lapidados e brutos".

Segundo o documento da Catoca, com o Estado de Emergência, decretado em quase todos os países, surgiram algumas restrições, como o encerramento de algumas fábricas e ou a dificuldade de se exportar mercadorias não relacionadas à prevenção e combate à covid-19, bens alimentares e outros específicos.

Este factor, sublinha a nota a que a Angop teve acesso hoje, causou uma disrupção na cadeia de logística de certos produtos essenciais ao sector mineiro. Outro exemplo apresentado é o fornecimento de pneus para equipamentos de grande porte, o cerne do trabalho numa mina.

Os Estados Unidos da América e a China, refere a nota da Sociedade Mineira de Catoca, actualmente as maiores regiões de consumo de diamantes, têm os seus mercados encerrados, preocupados em combater o novo coronavírus.

"As operadoras do sector vivem dias difíceis, tão desafiantes que estão a levar as mesmas a desenvolver planos de crise, conforme aconteceu com a Sociedade Mineira de Catoca, a mineradora responsável pela produção de mais de 75% dos diamantes de Angola", lê-se no docuento.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação