Várias artérias do Dundo estão sem energia eléctrica
03-06-2020 | Fonte: Jornal de Angola

A cidade do Dundo, capital da província da Lunda- Norte, está, parcialmente, sem energia eléctrica, porque a Agreeko, empresa gestora da nova central térmica, cortou algumas linhas de produção, para obrigar a Empresa de Produção de Electricidade (Prodel) a regularizar os pagamentos dos serviços que tem prestado, cuja dívida dura há sete meses.
 
A informação foi prestada à imprensa pelo governador provincial, Ernesto Muangala, que manifestou preocupação por as falhas de energia estarem a afectar o fornecimento de água potável nas áreas assoladas pelas restrições.
 
Com capacidade de dez megawatts, a nova central térmica do Dundo deixou de fornecer energia a vários bairros periféricos desde o dia 25 do mês passado. As restrições, de acordo com o governador, estão a ter também impacto negativo nas actividades de algumas unidades sanitárias da cidade.
 
Ernesto Muangala disse ter recebido garantias do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, de que o novo Conselho de Administração da Prodel está a avaliar as dívidas contraídas à empresa Agreko para, dentro de quinze dias, proceder ao pagamento das prestações atrasadas.
 
O governador informou , igualmente, ter recebido garantias do ministro João Baptista Borges que a rede de energia do Dundo vai, nos próximos dias, ser reforçada com mais uma turbina de 25 megawatts, “para responder às necessidades locais”.
 
Por seu lado, o director da zona Leste da Prodel, Manuel Muteca, confirmou a existência da dívida, contraída com serviços de montagem de grupos geradores, que forneciam, provisoriamente, energia a alguns bairros periféricos da cidade do Dundo. Antes da construção da nova central térmica, a cidade do Dundo era abastecida, em grande parte, pela antiga central, que tem capacidade de produção de 18 megawatts, conhecida por “Mãe Diesel”.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação