Governo condena assassinato de polícia na fronteira com a RDC
06-07-2020 | Fonte: Jornal de Angola

A delegação do Ministério do Interior na Lunda-Norte condenou, hoje, a morte de um agente da Polícia de Guarda Fronteira, do Posto do Nachiri, município do Chitato, vítima de disparos protagonizados por efectivos das Forças Armadas Congolesas(RDC).
 
"A delegação do Ministério do Interior da Lunda-Norte condena e manifesta uma profunda indignação por tamanha barbaridade cometida pelas Forças Armadas da RDC, na medida em que um acordo assinado no dia 10 de Junho do ano curso desencoraja ao uso de armas de fogo entre as forças, tendo em conta a falta de sinais visíveis de delimitação da fronteira comum", refere a delegação do Interior em comunicado. 
 
O documento informa que o facto ocorreu no Domingo, quando dois agentes se encontravam oficialmente em missão de serviço ao longo da fronteira, onde se depararam com um grupo de civis, com grandes quantidades de combustível em bidões. Os dois efectivos da Polícia de Guarda Fronteira tentaram tirar fotografias, convencidos de que se tratava de um grupo de contrabandistas de combustível e outras mercadorias, quando na verdade se tratava de um destacamento de aproximadamente 20 militares da FARDC, localizado a cerca de 300 metros além do limite da fronteira com a RDC.
 
A nota refere que os militares da RDC tentaram prender os dois polícias angolanos que, na tentativa de fuga, foram alvos de disparos, um dos quais atingiu mortalmente o agente Maurício Pedro Costa. O segundo conseguiu escapar ileso, apresentando-se, horas depois, à subunidade da Polícia de Guarda Frtonteira do Chitato.
 
Segundo a nota, foram estabelecidos contactos com a parte congolesa para a entrega do cadáver e a devolução da motorizada às autoridades angolanas, o que veio a acontecer às 19h00 do mesmo dia. Mas a pistola de marca “ Gericho” , pertencente à corporação angolana e o telemóvel do malogrado não foram devolvidos.
 
Em Maio, um soldado das Forças Armadas Angolanas (FAA), colocado no destacamento do Mussalala, posto fronteiriço do Furi-3, município do Cambulo (Lunda-Norte), foi alvejado por um militar da República Democrática do Congo (RDC). Um comunicado da delegação do Ministério do Interior informou, na altura que o incidente aconteceu por causa dos equívocos dos limites fronteiriços entre Angola e a RDC.
 
Os efectivos das FAA realizavam diligências de reconhecimento operativo num dos pontos da fronteira do lado angolano, onde encontraram um grupo de cidadãos da RDC que devastava a flora, produzindo carvão vegetal. De seguida, caíram na emboscada das Forças Armadas Congolesas, com vários disparos de armas automáticas, que acertaram no pé direito do soldado angolano, que ficou gravemente ferido.
 

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação