Condenação por crime de furto pode tramar Artur Almeida e Silva
08-10-2020 | Fonte: LuandaPost

O Presidente cessante da Federação Angolana de Futebol pode ser impedido de concorrer às próximas eleições na FAF, aprazadas para 14 de Novembro do corrente ano.

Segundo apurou este portal, em causa está o facto de Artur Almeida e Silva,  ter sido condenado na pena suspensa de dois anos, a 12 de maio de 2015, num processo de roubo de 10 milhões de dólares aos cofres da operadora móvel UNITEL.

De acordo com a sentença, houve transferência ilícitas de um bilhão de Kwanzas da conta a prazo da empresa Unitel, domiciliada no BCI  para a conta da empresa de Artur Almeida,  Zanuza, domiciliada no mesmo banco. No mesmo processo, além de Artur de Almeida e Silva, sentiram a mão pesada da justiça, Nataniel Mingas, Cláudio Gomes, Welson Ricardo Figueiredo, Luís Bernardo e Herménio Gaspar.

O presidente cessante do órgão reitor da modalidade rainha no país, não é o único da sua lista (C) com  cadastro criminal. O vogal Bernardo Suca, antigo director provincial da Juventude e Desportos do Huambo, por desvios de fundos públicos, foi condenado em 2015 na pena máxima de 4 anos de prisão. Um especialista em direito, confidenciou ao Luanda Post, que a bola “esta do lado da comissão eleitoral que deve considerar inelegível a lista C. O Estatuto da FAF é claro. No seu artigo 25º  sobre as condições de elegibilidade, são requisitos de elegibilidade para qualquer órgão, nunca ter sido punido por infracções de natureza criminal …”, conclui.

Leia aqui a sentença completa 

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação