Descontentamento na Despertar: jornalistas protestam contra liderança da UNITA
29-10-2020 | Fonte: Correio da Kianda

Os descontentamentos relacionados aos atrasos de salários, que ocorre há muitos anos, voltaram a sacudir os nervos dos jornalistas da rádio Despertar, que encontram-se, neste momento, há mais de 90 dias sem “ver a cor dos seus ordenados”.

Os jornalistas da referida estação acusam a liderança da UNITA de estar a desprezar e abandonar os profissionais de comunicação daquela rádio que, nesses últimos dias, para poderem sobreviver, sustentando as suas famílias, têm recorrido à dívidas com juros, que nem sempre consegue-se pagar, devido o salário ínfimo pago por aquela estação.

A falta de interesse por parte da direcção da UNITA em resolver situações relacionadas ao pagamento de salário, data desde o reinado de Isaías Samakuva, e, o que pensava-se que poderia normalizar com a liderança de Adalberto Costa Júnior, só tende cada vez mais piorar. Os descontentamentos relacionados aos atrasos de salários, que ocorre há muitos anos, voltaram a sacudir os nervos dos jornalistas da rádio Despertar, que encontram-se, neste momento, há mais de 90 dias sem “ver a cor dos seus ordenados”.

Os jornalistas da referida estação acusam a liderança da UNITA de estar a desprezar e abandonar os profissionais de comunicação daquela rádio que, nesses últimos dias, para poderem sobreviver, sustentando as suas famílias, têm recorrido à dívidas com juros, que nem sempre consegue-se pagar, devido o salário ínfimo pago por aquela estação. A falta de interesse por parte da direcção da UNITA em resolver situações relacionadas ao pagamento de salário, data desde o reinado de Isaías Samakuva, e, o que pensava-se que poderia normalizar com a liderança de Adalberto Costa Júnior, só tende cada vez mais piorar.

Agastados com a situação, depois de uma tentativa sem êxito com a direcção da rádio, que alega-se impotente em dar resposta às reivindicações dos mais de dez profissionais, a comissão sindical da acima referida rádio, que emite com a frequência 91.0, decidiu protestar diante da Presidência da República, de onde poderão exigir o pagamento dos salários de mais de três meses. “Vamos nos concentrar na portaria da Rádio Despertar, em protesto, para exigir o nosso dinheiro por parte da direcção da UNITA”, lê-se num documento da comissão sindical da Rádio Despertar, a que o Correio da Kianda teve acesso.

No entender da socióloga Fineza Capoto, a falta de interesse por parte da UNITA em resolver situações pontuais dos jornalistas da rádio ligada ao referido partido, revela a falta de seriedade por parte dos dirigentes da UNITA. “Se uma rádio com menos de cem pessoas tem estado a ter imensas dificuldades em gerir, certamente que, se um dia chegarem ao poder, dos cidadãos jamais quererão saber das suas dificuldades”, lamentou.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação