Produção de farinha de trigo das Grandes Moagens fustigada pela Covid-19
30-11-2020 | Fonte: Novo Jornal

A Covid-19 forçou a empresa Grandes Moagens de Angola (GMA) a reduzir para 80% a sua produção de farinha de trigo, fornecendo, actualmente, 19.200 toneladas mensais face à capacidade total instalada de 24 mil toneladas, revelou ao Novo Jornal o seu administrador, César Rasgado.
 
Em declarações ao NJ, o gestor explicou que o coronavírus tem afectado, de forma acentuada, a actividade daquela firma, uma vez que, desde final de Março último, período em que Angola decretou pela primeira vez o Estado de Emergência, a procura de farinha de trigo baixou significativamente. "Durante alguns meses, a fábrica mantinha uma produção de apenas 46% da sua capacidade".
 
Este ano, até antes de Agosto último, o grupo GMA viveu o seu pior momento no que à produção de farinha de trigo diz respeito, produzindo apenas 11.040 toneladas (46%) das 24 mil toneladas totais possíveis, informou o responsável.
 
Segundo César Rasgado, a Covid-19 constitui, neste momento, um enorme constrangimento à actividade das GMA, por razões económicas, mas, sobretudo, de saúde pública, tendo reforçado internamente as medidas de segurança e higiene, para manter a capacidade de produção inalterada.
 
"Temos feito um trabalho sistemático de articulação com os nossos distribuidores habituais, para garantir que continuem a abastecer o mercado de acordo com as necessidades identificadas e com a qualidade exigida por lei", referiu.
 
Estima-se que, com a aproximação da época natalícia, a demanda da farinha de trigo irá crescer, mas, devido à pandemia - com os isolamentos e os distanciamentos obrigatórios, a ausência de convívios familiares alargados e de festas, assim como com os efeitos da contracção económica a que se assiste - o cenário actual de consumo acredita-se que não se irá alterar de forma substancial até final do ano.
 
Relativamente à disponibilidade de matéria-prima, César Rasgado afirmou que esta depende da componente cambial para a importação, dada a ausência de produção local de trigo.
 
"Não obstante um dos objectivos das GMA e outras empresas que actuam neste sector de actividade ser a promoção e a recuperação da produção local de trigo - que já existiu no passado e que actualmente existe em pequena escala - a matéria-prima (trigo) usada nesta unidade industrial é 100% importada", sublinhou.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação