Inocêncio de Matos: “ Pelo que vimos, ele foi assassinado pela polícia”
30-11-2020 | Fonte: VOA

Foi sábado, 28 de novembro, a enterrar o estudante angolano, Inocêncio Matos, que morreu a 11 de novembro em consequência de ferimentos durante uma manifestação em Luanda, contra o governo.
 
Inocêncio Matos foi enterrado no Cemitério da Mulemba, (vulgo 14). O enterro ocorre depois de a família e as autoridades judiciais terem chegado a acordo para a realização de uma segunda autópsia exigida pela família, processo envolto em alguma polémica.
 
O ativista Viriato da Cruz lamentou a morte de Matos e disse que os jovens vão continuar a protestar: "A morte do nosso companheiro não nos enfraquece. Se mataram porque vamos parar estão enganos, estamos mais fortes".
 
Para outro ativista, Ze Luis, a morte de Inocêncio Matos deixa "um vazio no seio dos amigos colegas e companheiros de luta, é lamentável".
 
Inocêncio Alberto Matos tinha 26 anos, era estudante do 3° ano de Ciências da Computação, na Universidade Agostinho Neto. Ele morreu no passado dia 11 durante uma manifestação em Luanda e as autoridades disseram que ele tinha caído quando fugia da polícia.
 
O pai, Alfredo Matos, refutou a versão da polícia: “Pelo que vimos, ele foi assassinado pela polícia, o meu filho não foi baleado, mas vê-se que foi torturado pela polícia”.
 
 

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação