Promessas eleitorais não cumpridas podem embaraçar reeleição de JLo
08-01-2021 | Fonte: Novo Jornal

Analistas políticos e juristas consideram o presente ano pré-eleitoral decisivo para a governação do Presidente da República, João Lourenço, cuja missão é, em pouco tempo, concretizar as tarefas estruturantes não realizadas durante os três anos no poder.

Dentre os vários desafios que se afiguram cruciais para João Lourenço (JLo) no período pré-eleitoral, analistas apontam as baterias políticas para as eleições gerais agendadas para o próximo ano.

A questão frequentemente levantada nalguns círculos políticos tem a ver se o actual inquilino do Palácio Presidencial conseguirá materializar os pontos estruturais da sua governação e as promessas eleitorais feitas em 2017, tendo em conta o tempo que nos separa do próximo sufrágio.

Aos olhos de analistas políticos, nem de longe JLo está próximo de convencer os seus mais directos detractores e certa opinião pública, sobretudo pelo empecilho no combate à corrupção dentro do partido, que está a ser encarado como um "exercício de charme político", num cenário com uma UNITA mais refinada, comandada por Adalberto Costa Júnior.

"O Chefe de Estado tem um ano pré-eleitoral decisivo, na medida em que terá de desenvolver uma tarefa "hercúlea", de tentar, "em pouco tempo", emendar todo o quadro político, económico e social que se degradou nos últimos três anos de governação", afirmou o analista político Albano Pedro, embora também admita que JLo mantém, até ao momento, possibilidade de ser reeleito, não obstante as críticas que tem merecido em torno da sua governação.

Para o jurista, um dos maiores receios da actual governação tem a ver com o tempo para reverter as situações mais candentes e emergentes da sociedade, com destaque para as questões sociais (desemprego) e desafios políticos.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação