O que está por trás da exoneração da governadora de Luanda?
01-07-2021 | Fonte: DW África

Com menos de um ano de gestão, Joana Lina é exonerada e dá lugar a Paula de Carvalho no Governo de Luanda. Analistas creem que saída de Lina não ocorre somente pelo "caos do lixo" em Luanda. O problema seria sistémico.

Depois de duras críticas da sociedade à governação de Joana Lina,  o Presidente João Lourenço exonerou a governadora de Luanda esta quarta-feira (30.06). Lina não resistiu ao caos provocado pelo lixo em Luanda - base do surto de malária que continua a causar várias mortes e abarrotar hospitais, morgues e cemitérios.

A ex-governadora é acusada de falta de transparência no processo de seleção de empresas que fariam a gestão do lixo.

Para o seu lugar, o João Lourenço nomeou Ana Paula Chantre Luna de Carvalho, antiga secretária de Estado para o Ordenamento do Território. É a terceira vez que uma mulher assume o Governo de Luanda. Paula de Carvalho é o quarto nome a ocupar o Palácio do Governo Provincial durante a governação de João Lourenço – sucedendo Adriano Mendes de Carvalho, Sérgio Luther Rescova e Joana Lina.

Decentralização é solução?

Em declarações à DW África, o secretário provincial da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) na cidade de Luanda, Nelito Ekuikui, disse que os problemas da capital angolana não se resolvem com exonerações.

 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação