Sócrates quer maior facilidade na circulação de pessoas
05-04-2006 | Fonte: Lusa
O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou hoje que o seu Governo vai empenhar-se para facilitar a circulação de pessoas entre Portugal e Angola, através da revisão do actual regime dos dois países para a concessão de vistos.

"É justo reconhecer que em Portugal as coisas não têm corrido bem", afirmou José Sócrates na conferência de imprensa conjunta com o Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, referindo-se à dificuldade dos empresários portugueses e angolanos para obter vistos de trabalho.

No entanto, José Sócrates frisou que o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Diogo Freitas do Amaral, vai tomar medidas para que o regime português e angolano de concessão de vistos "não impeça o desenvolvimento da cooperação económica entre os dois países".

Na visita oficial de quatro dias a Angola, que começou terça-feira, José Sócrates fez-se acompanhar por cerca de 70 empresários, que, no seu conjunto, representam um terço do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Na conferência de imprensa, José Sócrates considerou que "não há nenhum a nuvem no horizonte nas relações" entre Portugal e Angola, sublinhando, inclusivamente, que os partidos que estão no poder em Lisboa e Luanda (o PS e o MPLA) " pertencem ambos à mesma organização internacional", a Internacional Socialista.

"A comunidade empresarial que está em Angola - e que quer fazer investimentos em Angola - deseja relações diplomáticas mais fáceis. As empresas portuguesas, desta vez, querem fixar-se em Angola e produzir neste país", afirmou José Sócrates.

Segundo José Sócrates, apesar de se ter feito "ainda pouco" no domínio da concessão de vistos, Portugal já decidiu este ano criar um corredor especial para os cidadãos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

"É pouco, mas é um gesto de que Portugal trata os seus amigos de maneira especial e foi uma decisão na direcção certa", declarou o primeiro-ministro.

Nas declarações que fez aos jornalistas, José Sócrates referiu-se também ao facto de hoje, ao início da manhã, ter tido a primeira reunião de trabalho com o Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos.

Sócrates disse depois que, pela sua parte, irá empenhar-se para consolidar as relações pessoais com o chefe de Estado angolano.

"Portugal e Angola têm os mesmos pontos de vista sobre o futuro e esta cimeira construiu uma nova agenda, tendo como ponto central as questões económicas, onde há muito para fazer", declarou o primeiro-ministro.

Interrogado sobre a natureza do actual regime político angolano, o chefe do Governo português referiu que, "nos últimos quatro anos, houve substanciais progressos" ao nível institucional neste país africano de expressão portuguesa.

"Portugal manifesta aqui a sua confiança no sistema económico angolano, nas instituições políticas angolanas e no povo angolano", acrescentou o primeiro-ministro.

Segundo Sócrates, Portugal está empenhado "em criar um tempo novo" nas suas relações com Angola.

"Temos interesse em participar no processo de reconstrução de Angola, não apenas por razões históricas, mas porque há vantagens mútuas para os dois países", justificou.
 
Comentários
Quer Comentar?
Nome E-mail ou Localização
Comentário
Aceito as Regras de Participação